Instituto Unimed/RS reforça importância da doação de sangue em meio à pandemia

Em razão da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), a doação de sangue no Rio Grande do Sul teve queda de 60% a 70% em determinadas regiões, conforme o Hemocentro do Estado. Os números colocam em situação crítica o abastecimento para milhares de gaúchos, que precisam de sangue em razão de procedimentos e intervenções médicas de grande porte e complexidade, como transfusões, transplantes e cirurgias, bem como pacientes com doenças crônicas graves.

Preocupado com esta realidade – que pode se agravar com a chegada do inverno -, o Sistema Unimed-RS, por meio do Instituto Unimed/RS, reforça ,ante o ‘Junho Vermelho’, mês destinado à conscientização para doação de sangue, a necessidade de que seja garantida a assistência hemoterápica aos pacientes, considerando que uma doação de sangue de 450 ml pode beneficiar até quatro vidas.

O procedimento é simples e rápido. Não há riscos para o doador, porque nenhum material usado na coleta é reutilizado. Para doar, basta procurar uma unidade de coleta, como o hemonúcleo – sendo que muitos estão marcando horários para evitar aglomerações. Por isso, o ideal é entrar em contato por telefone antes de se dirigir ao local.


Doação essencial

Para o diretor administrativo do Instituto Unimed/RS e diretor de Sustentabilidade da Unimed Federação/RS, Alcides Mandelli Stumpf, uma das principais formas de ajudar e ser solidário durante a pandemia é a doação de sangue. “Os estoques estão baixos em quase todas as regiões do RS, o que coloca em risco inúmeras vidas, inclusive as nossas. Afinal, não sabemos se e quando podemos precisar de uma transfusão”, destaca o médico, para quem o doador, embora voluntário, pode ser equiparado aos trabalhadores que exercem funções essenciais, estando na linha de frente da preservação da vida.


O que o Instituto Unimed/RS já faz

Desde 2013, o Instituto desenvolve o Programa de Voluntariado Doador Fiel, com o objetivo de estimular colaboradores, dirigentes, familiares e amigos, quanto à importância da doação contínua de sangue, respeitando o 7º Princípio do cooperativismo – Interesse pela comunidade – e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS – 3 e 11.5.

O Doador Fiel abre oportunidades, também, aos chamados influenciadores – pessoas que, por razões contrárias à sua vontade, não podem ser doadoras. Cabe aos influenciadores, por exemplo, estimular a doação junto a seus grupos de convivência e amigos, o que pode fazer a diferença na vida de milhares de pessoas.

Digite a busca desejada e tecle [enter]